CAP do Porto de Cabedelo se reúne, dá posse a nova presidência e faz balanço do semestre


Na manhã desta sexta-feira (9), aconteceu uma sessão extraordinária do Conselho de Autoridade Portuária (CAP) do Porto de Cabedelo em razão da posse nos novos membros. Como presidente, assumiu o coordenador geral de Descentralização e Delegações da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNTPA), Alessandro Marques. Além dele, assumiu Gilson Freitas – Coordenador de Novos Negócios Portuários da SNTPA ¬– na função de suplente da presidência do CAP. A reunião aconteceu na sede da Companhia Docas da Paraíba (Docas-PB).

“Foi uma reunião extremamente proveitosa. É importante envolver toda a comunidade portuária e manter essa convivência, esse debate em prol da melhoria do Porto de Cabedelo”, afirma o novo presidente do CAP. Segundo ele, nas próximas reuniões devem ser apresentadas as assinaturas dos últimos contratos, movimentações, etc.

A reunião tratou ainda dos relatórios operacional e financeiro do primeiro semestre de 2019, o detalhamento de obras e ações que estão sendo ou ainda serão realizadas no Porto de Cabedelo, os investimentos previstos com os leilões e aumento de capacidade dos terminais, o Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ), entre outros tópicos.

A presidente da Docas-PB, Gilmara Temóteo, também avalia a reunião como positiva. “Pudemos atualizar a comunidade portuária que faz parte do conselho sobre as últimas deliberações da Companhia Docas, os avanços em relação aos leilões, ao contrato assinado em Brasília. Informações importantes para que os principais interessados possam acompanhar a evolução do Porto de Cabedelo”, pontua.

O Conselho – O CAP é composto por representantes do poder público (SNTPA, Docas-PB, Capitania dos Portos, Prefeitura de Cabedelo, Agência Nacional de Transportes Aquaviários, entre outros), empresários e trabalhadores portuários. Esse conselho reúne-se bimestralmente e é responsável por avaliar relatórios, sugerir políticas e assegurar o cumprimento de normas de proteção ambiental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *